domingo, 31 de julho de 2011

Lou Reed - Metal Machine Music (1975)

Amigos,
Lou Reed é uma daquelas figuras do Rock que dispensam explicação. Desde os tempos com a Velvet Underground, com sua guitarra destoante, sua poesia de rua e sua voz inconfundível, Lewis Allan Reed nunca se acomodou com o sucesso. E olha que não foram poucos os louros colhidos por ele! Em 75, por exemplo, depois de ser mundialmente aclamado por seus dois álbuns lançados no ano anterior ("Rock 'n' Roll Animal" e "Sally Can't Dance"), Reed apareceu com o disco duplo "Metal Machine Music", um verdadeiro suicídio de crítica e público. O projeto (cujo subtítulo era "*The Amine β Ring") consistia basicamente em ecos, ruídos, microfonias, distorções e efeitos diversos mixados em diferentes velocidades pelo próprio artista em quatro faixas - nada de canções, nada de melodias. Em princípio pensou-se até que o lançamento era uma piada, algo para chocar parte de seus fãs (mais adeptos da sofisticação) ou apenas para cumprir obrigações contratuais com a RCA Records - mas não:  era uma alusão sônica ao clássico trabalho de Beethoven!  Reed passou a ser ridicularizado por críticos, fãs e pela Indústria da Música mas, por outro lado, isso possibilitou que novas perspectivas musicais se abrissem longe da música-mercado convencional de até então. Tempos depois percebeu-se que "Metal Machine Music" foi seminal para o surgimento de novos gêneros como a Industrial Music, o Noise Rock, o Avant-garde e o Sound Art.
Atenção: se vocês não abrem mão do formato "ritmo, melodia e poesia", "verso x refrão" ou de qualquer outro conceito mais usual de música, saibam que não é isso o que encontrarão aqui.
Impossível destacar uma única parte mas como "Metal Machine Music, Part 1" dá início ao disco, aqui vai.
Essa postagem é uma homenagem ao estranho visitante "O autor dos rebentos".
Até mais. 

3 comentários

O autor dos rebentos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O autor dos rebentos disse...

Olá Mary:

Mandou bem de novo, acertou na mosca.

Obrigado pelo "estranho visitante", sou um "sujeito estranho" mesmo, como aquela música do Oswaldo Montenegro hehe.

Engraçado que até postei no meu blog dos Rebentos sobre este disco, quando o Mr. Reed passou por aqui no ano passado, no episódio já mencionado, em que muitos desistiram e pude conferir na faixa esta apresentação.

Inté mais, cross-eyed Mary (lembrei do Jethro Tull rsrs).

Hellraiser disse...

"Metal Machine Music" - a trilha sonora do fim do mundo."
Era assim que uma revista gringa, perdida lá nos idos dos 80's, se referia a esse disco.
Lou Reed, para mim, ainda era aquela figura cult, representante de uma outra geração, diferente.
Ledo engano: Reed era como nós!
Incansável, incômodo, ousado, provocador.
Postagem memorável!

Postar um comentário

Desenvolvido por UsuárioCompulsivo, desmontado e remendado por "Estranho Mundo de Mary". ^