quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A guerra já começou: Megaupload é a primeira vítima.

Amigos,
o Departamento de Justiça dos Estados Unidos acaba de tirar do ar o Megaupload,
um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo. A acusação alega que o Megaupload.com deu aos detentores de direitos autorais mais que US$ 500 milhões em prejuízo por facilitar a pirataria de filmes e outros tipos de conteúdo - mas a maioria do tráfego de dados feito pelo Megaupload é legítimo.

O fato aconteceu um dia depois que diversos sites, incluindo a Wikipédia, ficaram 24h fora do ar em protesto contra o SOPA e o PIPA, dois projetos de lei antipirataria que circulam nos Estados Unidos. Ambos são apoiados por multinacionais do entretenimento (estúdios, gravadoras, produtoras etc) mas são questionados por companhias de internet como Google, Facebook, Amazon e Twitter que interpretam as medidas como um tipo de censura aos sites e à liberdade de expressão.

Ainda é cedo para dizer onde essa batalha vai acabar - mas ela já está aí e,
se não nos mobilizarmos politicamente
(pressionando nossos representantes na Câmara e no Senado),
logo seremos vencidos pelo poder econômico.

No Brasil o senador Álvaro Azevedo (PSDB-MG) propôs o Projeto de Lei (PL) 84/99, o AI-5 Digital, que, com outras palavras, visa o mesmo objetivo:
permitir que interesses escusos controlem a Internet.

O SOPA ainda está sendo avaliado por comissão na Câmara americana.
A PIPA deve ir à votação no Senado dos EUA ainda neste mês.

Para maiores informações sugiro:

"Lei no Congresso dos EUA pode destruir a internet livre; entenda o que está em jogo"
"Sopa: como a lei antipirataria pode afetar o Brasil"
"De Reddit a Google: saiba porque os sites serão afetados pelo Sopa"

4 comentários

Hellraiser disse...

Saudações, Mary.
Acabei de chegar e me deparei com o Megaupload fora do ar. Deja Vu total com o Napster..
Não é possível que outra vez os interesses de poucos pesarão mais do que a vontade da maioria!
Se controlarem a Internet voltaremos a ser reféns dos grandes conglomerados multinacionais de comunicação, da cultura massificante, pasteurizada, da globalização em via-única, sem vez, som voz..
Vão privatizar a Internet e sufocar uma geração!
Vergonha!

http://iwebbox.t35.com/ disse...

isso é um absurdo...a informação é algo livre!Precissamos nosmobilziar contra esse neo-nazismo!

Sick Boy disse...

Saudações,
Não tenho muito o que escrever aqui, porém não poderia deixar passar em branco esse ato de repressão.

Bem, como foi dito no artigo, a maioria do tráfego do MegaUpload é legitimo, o principal "culpado" pelo aumento da pirataria, principalmente de filmes são os torrents, e estes, acredito eu, não serão tão facilmente derrubados.

Já sobre o compartilhamento de músicas, que é o nosso principal foco, acredito que á música é totalmente livre. Sim, há um custo para produzi-la. Então, o que eu acho que devemos fazer, é suportar os artistas, dar a eles meios para que possam continuar produzindo.

Então só para finalizar, vou deixar o link de uma entrevista, interessantíssima, do Ian MacKaye (Fugazi,Minor Threat..) que fala sobre internet, música e afins: http://migre.me/7BRhl (leiam a última parte).

Abraços--
Fuck The System.

Bloody Mary disse...

Amigos,
não temos dúvidas sobre quem e que motivos têm os que querem controlar a Internet.
A arte, transipração e necessidade natural do homem, que há muito estava acorrentada pelas multinacionais e megacorporações que enxergam em cifrões, por fim libertou-se e é capaz de espalhar-se e sobreviver como deveria ser - desde sempre.
Acusar e atacar para destruir é sempre mais fácil do que dialogar e compreender. Veja o Iraque, o Afeganistão, a Palestina, a Líbia. É assim que eles agem, movidos não pelo medo, a desculpa dos fracos, mas pela ira, a fraqueza dos superados.
Por muito tempo eles viveram das dificuldades que tínhamos para formar uma rede mundial autosuficiente capaz de movimentar idéias. Esse conceito já existia e chamava-se UNDERGROUND. Nele, todos tinham contato mesmo sem se conhecer, todos compartilhavam idéias, projetos, todos se ajudavam, trabalhavam colaborativamente e, na maioria das vezes, não havia lucro direto, só a satisfação de fazer o que se gosta e a realização de mover a roda da cultura. Hoje o UNDERGROUND é o mundo e cada um de nós é parte dele, compartilhando e colaborando para que o mundo não pare, nem se transforme numa ditadura regida pelo discurso único do dinheiro e dos negócios.
É isso o que eles temem: perder o controle sobre as coisas. Mal conseguem perceber que nunca estiveram no controle - e nunca estarão, mesmo se controlarem a Internet.
Nunca puderam deter as cópias em fitas cassete passadas de mãos em mãos, os fanzines mimeografados, as camisetas silkadas em casa etc. E não será agora, através de uma lei burRocrática, retrógrada e conservadora que vão conseguir isso..

Postar um comentário

Desenvolvido por UsuárioCompulsivo, desmontado e remendado por "Estranho Mundo de Mary". ^