sábado, 6 de setembro de 2008

Ministry - Cover Up (2008)

Boomp3.com
Amigos,
formada em Chicago, Illinois, no longínquo ano de 1981, o Ministry é, definitivamente, o mais representativo nome do Industrial Metal, influenciando bandas como Fear Factory, Rammstein, Nine Inch Nails, Filter e Static-x. Alain Jourgensen, filho de refugiados cubanos e mentor da banda, lançou-se, inicialmente sozinho, com uma sonoridade mais pop (synth pop), porém, sem muito alarde. Seu primeiro álbum "With Sympathy", de 83, não agradou nem mesmo seu criador que chegou a dizer que o disco "não valia nem ser roubado" e que tinha sido gravado sob pressão da gravadora. No ano seguinte ele embarca numa turnê com a banda "Front 242". Nesse período ele entra em contato com Adrian Sherwood, um produtor que começava a se destacar na cena Industrial. Com ele, Jourgensen grava "Twitch" (1986), um álbum mais denso que o anterior mas ainda sem a sonoridade ideal. Durante a turnê desse álbum Jourgensen conhece Paul Barker, baixista do The Blackouts. A parceria entre os dois parece ser o divisor de águas já que, foi a partir dela que o Ministry encontrou sua identidade. Em 88, com a entrada de William Rieflin a banda lança "The Land of Rape and Honey" e estabelece, com todas as bases necessárias e fundamentais, o Metal Industrial. O álbum seguinte, "The Mind is a Terrible Thing to Taste", de 1989, abusa ainda mais das guitarras e sonoridade "Metal", aproximando a banda dos fãs de rock pesado. Porém, foi "Psalm 69: The Way to Succeed and the Way to Suck Eggs", de 1992, a grande obra-prima da banda. Diferentemente das outras postagens (em que eu procurei postar o primeiro registro da banda) dessa vez eu comecei com álbum mais recente, já que o início do Ministry nunca me agradou. O álbum "Cover Up", de 2008, como o próprio nome diz, é um álbum em que Al Jourgensen presta a devida homenagem aos influenciadores de sua investida no mundo do rock. Participaram desse álbum Tommy Victor, Tony Campos, Sin Quirin, John Bechdel, Aaron Rossi, Burton C. Bell e Paul Raven - R.I.P (jizuiz!). Entre as faixas destacam-se os clássicos dos Rolling Stones ("Under My Thumb"), Golden Earring ("Radar Love"), ZZ Top ("Just Got Paid"),Deep Purple ("Space Truckin", lá no playerzinho), The Doors ("Roadhouse Blues") e até Louis Armstrong ("Wonderful World" numa versão lenta, desconstruída, caótica e apocalíptica). Recomendadíssimo pra quem gosta de barulho e não tem medo do conceito "Industrial" (mesmo porque, nesse caso, ele não é pejorativo).
Até mais.

1 comentário

Ricardo Casares disse...

Al Jourgensen disse que o Ministry ia encerrar as atividades no final desse ano - antes que a banda virasse uma mera caricatura de si mesma. Pelo menos o disco é pra ser lembrado!
Valeu.

Postar um comentário

Desenvolvido por UsuárioCompulsivo, desmontado e remendado por "Estranho Mundo de Mary". ^